Miojo x Maçã: publicidade abusiva ou incentivo ao consumo?

Hoje vim falar de um assunto um pouco mais teórico, que foi justamente o tema que escolhi para defender no meu trabalho de conclusão de curso: “Publicidade abusiva na veiculação de gêneros alimentícios destinada à criança no Brasil”.
 
Aproveitei a minha formação jurídica e as informações que vivo cercada por conta de blog e vida fitness em geral para elaborar um estudo sobre alimentos, publicidade e criança. 🙂
Deixando de lado os nutrientes e o caráter nada compatível com a alimentação saudável, o fato é que compramos miojo da Mônica porque acreditamos piamente que ele é mais gostoso que outros miojos.
Além disso, depois de andar pelo supermercado inteiro e fazer as compras, ao chegarmos no caixa ainda somos bombardeados por coisinhas coloridas de todas as espécies & gêneros, como o pirulito do Ben 10, a bala de coração da Barbie, a goma de mascar do Bob Esponja, o stick azedinho do macaco, o ursinho de gelatina na embalagem azul para garotos, o ursinho de gelatina na embalagem rosa para meninas e por aí vai. É marketing instantâneo, colocado ali estrategicamente consumirmos sem nem pensar.
Fonte: Google. 
Em consonância com a edição do Guia Alimentar pelo Ministério da Saúde, no qual se criou uma nova apresentação da pirâmide alimentar clássica (essa daqui!), o Guia elencou os alimentos em uma ordem diversa, ordem prioritária que se deve consumir os alimentos visando à alimentação saudável, vindo em primeiro lugar os alimentos in natura (frutas, legumes e verduras), em segundo os alimentos minimamente processados (grãos e ervas) e por fim os alimentos ultraprocessados (embutidos, frituras e alimentos congelados/semi prontos).
Dentre os alimentos ultraprocessados compreendem-se as “carnes” congeladas, como hambúrgueres e nuggets. Nem preciso dizer que a turminha toda aparece em peso nos ultraprocessados também, né?
Em abril de 2014, o CONANDA (Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente), editou a Resolução 163, na qual se considera publicidade abusiva – segundo o conceito do Código de Defesa do Consumidor – toda veiculação que faz uso de personagens, cores, formas, animações, vozes infantis, sons, efeitos especiais, linguagem infantil, promoções com competições, promoções com brindes colecionáveis e todos os meios utilizados na atividade mercadológica para persuadir a criança a consumir determinados produtos.
Difícil missão, não? Tudo que pensamos que existe no mercado voltado à criança tem algum personagem, cor ou algo que remeta ao mundo infantil na embalagem.
Voltando à questão dos alimentos, existe uma questão polêmica: ok, é certo que alimentos ricos em sódio, açúcar, gordura e aditivos químicos não são saudáveis para ninguém. Mas e as frutas, verduras e legumes com embalagens infantis, como a maçã e a cenourinha da Mônica? 
Pela Resolução 163/14, nenhuma embalagem pode conter personagens, seja o alimento saudável ou não. No entanto, a grande questão fundamental por trás disso tudo é mostrar para as crianças a importância de consumir certos alimentos independente da forma como ele é vendido. A maçã da Mônica é a maçã fuji, a mesma vendida nas feiras livres e nos hortifrutis.
É inegável que a influência de personagens tão queridos por todas as crianças e pelos adultos (que cresceram lendo gibis da Turma da Mônica) é enorme e incentiva o consumo, seja de miojo, seja de maçã. Logo, seria então viável que frutas e legumes fossem apresentados ao mercado com esse apelo?
Sobre essa questão controversa, a minha opinião é a seguinte: não faz parte da atividade publicitária e mercadológica ensinar hábitos saudáveis às crianças, que crescem vendo e consumindo tudo rico em sódio, açúcar e gordura que existe no mercado, apresentando, consequentemente, quadros de obesidade infantil, bem como obesidade na fase adulta. Esse papel é da educação. Seria ideal que existisse na educação infantil alguma formação destinada à conscientização sobre alimentação saudável, sobre valores nutricionais dos alimentos e sobre o que cada grupo alimentar representa, mas infelizmente isso ainda não acontece no Brasil. São políticas sociais distintas que deveriam unir os esforços e trabalhar juntas.
Assim, essa função é remetida aos pais, de quem se espera que tenha bom senso e pregue a boa alimentação no dia-a-dia em casa, evitando ao máximo oferecer/comprar essas tentações bombásticas das prateleiras coloridas.

E como fica a indústria alimentícia nesse caso? De novo, na minha opinião: já que a Resolução 163/14 é clara ao proibir tais artifícios na veiculação de produtos infantis, se o miojo não pode, a maçã também não pode. Igualdade de gêneros alimentícios! rs

É uma questão polêmica e bem recente, que ainda não encontrou uma forma uniforme e efetiva de apresentar os produtos e serviços ao mercado de consumo infantil.

Esse assunto é muito amplo e dá para explorar N coisas… se for do interesse de vocês, posso escrever mais sobre o tema. 🙂
Espero que tenham gostado!
Um beijo!
Continue Reading

Em um relacionamento sério com a respiração

A respiração é um ato involuntário, que fazemos todos os dias das nossas vidas, o tempo todo, desde que nascemos. Com a vida maluca que levamos hoje em dia, quando mal percebemos o estresse já tomou conta do nosso ser e é somente nessa hora que lembramos de respirar para nos acalmar.
Nesse último final de semana fui convidada pela Josie e pela Denise para fazer um treinamento sobre respiração.
E aí você se pergunta: mas ué, respiração? Por que aprender técnicas de respiração se é algo que faço naturalmente? Existe técnica?
Pois é. Existe!
Olha eu ali respirando concentrada! 😉
Essa técnica é chamada de Rebirth, tem ação físico-psíquica, é feita de forma totalmente consciente, proporciona relaxamento e alivia o estresse com mais eficiência e, além de aumentar a capacidade respiratória, ainda serve como técnica de meditação e também para curar alguns problemas físicos como dores, inchaço (pra mulherada que sofre de inchaço: funciona mesmo! Além de tudo é diurética, hahaha), insônia etc.
Aos atletas de plantão e à galera fitness, essa técnica de respiração vale ouro! O pulmão, assim como qualquer outra parte do corpo, quando exercitado corretamente, aumenta em até um terço a capacidade de absorção de oxigênio comparada à quantidade de oxigênio que respiramos normalmente.
Especialmente os corredores – assim como eu – sabem o quanto é importante ter ar e respirar direitinho durante os treinos, não é mesmo? hahaha
Qualquer atividade física aumenta a necessidade de oxigênio, justamente pela demanda de mais energia aos órgãos todos que ficam em pleno funcionamento durante os treinos. Imagina que incrível poder otimizar a oxigenação e respirar mais? 🙂
Bom, o workshop é aplicado pela Josie e pela Denise todo mês, na região do ABC e em São Paulo capital. Quem tiver interesse em aprender a técnica é só entrar em contato com elas para maiores informações! 😉
Espero que tenham gostado!
Um beijo!
Continue Reading

Em silêncio

Esses dias fui treinar num sábado ao entardecer, no interior de São Paulo, pois estava passando o final de semana por lá. Como de praxe, separei o material necessário: roupa fitness, tênis, elástico de cabelo, polar, celular, fone de ouvido e #partiu!
Foi um “treino teste” que a nova assessoria me pediu, em que eu precisava correr 30 minutos e ver quantos quilômetros eu percorria, para que o coach me conhecesse melhor quanto ao ritmo, nível de corredora amadora que estou etc. Liguei o app Nike+, coloquei os fones de ouvido e fui.
Eu amo música! Sou viciada, vivo buscando novas bandas, fazendo playlists e mais playlists no iPod para não enjoar das mesmas músicas, penso nos ritmos e nas passadas e por aí vai. É apego total.
Durante o treino, logo indo para o 2km eu senti que algo me incomodava. A respiração estava ok, não estava sentindo dores, nada. Tirei os fones e fui correndo em silêncio.
Cara, que sensação boa! Fui em paz, com o pensamento livre, prestando atenção somente nos sinais que meu corpo dava, como ritmo da respiração, ritmo das passadas, postura, posicionamento dos braços, dentre outras coisas.
Terminei o treino exausta, suando horrores, mas com uma leveza e uma paz interior que eu nunca tinha sentido depois de correr.
Eu lia em blogs que era bom correr sem música, justamente para prestar atenção em tudo que acontece com o corpo durante a corrida. Além disso, é a forma como os corredores mais experientes recomendam fazer, principalmente nas provas e nos treinos de rua (presta atenção nos carros ae, pessoal!). E quem disse que eu conseguia me desapegar dos fones?
Ultimamente ando prestando bastante atenção na minha respiração, não só quando estou correndo, mas no dia a dia mesmo. Respirar corretamente faz uma baita diferença! A gente nem percebe que respira errado porque já é um hábito involuntário que praticamos desde sempre.
Vamos lá ao exercício educativo de respiração! rs. A forma correta é respirar com o abdômen, falando à grosso modo: estufando a barriga quando o ar entra e murchando quando o ar sai – tentem fazer agora. Assim o oxigênio circula melhor pelo nosso sangue e oxigena mais o cérebro, facilitando tanto o trabalho mental, bem como o dos outros órgãos.
Mas por quê respiramos com o peito (caixa torácica)? Porque o ser humano é um bicho preguiçoso e essa forma de respiração gasta menos energia. Reparem no abdômen de um bebê recém nascido respirando… ele estufa e murcha, ou seja, nascemos respirando corretamente, mas a vida nos leva para o caminho da preguiça e cabe a nós ir contra, hahaha.
A Fernanda, uma amiga querida do blog Escolha Inteligente, me marcou numa matéria interessantíssima sobre música e corrida, escrito por ninguém menos que Nuno Cobra, em que ele fala justamente sobre a necessidade de focarmos na prática da atividade física e só. Vale a pena a leitura!
Por essas e outras que muita gente considera a corrida como forma de meditação, pois além de ser um hábito saudável, ainda ajuda a manter a mente sã. Focando nos movimentos corporais, esquece-se os problemas externos. 😉
Olhem só esse vídeo de uma publicidade antiga da Nike – por sinal excelente! -, demonstrando exatamente o que acontece com a gente quando pratica uma corrida.
Ou seja, migus corredores e amadores, respirem direitinho e pratiquem uma atividade física que gostem para ter uma mente sã e um corpo saradão! 🙂
Um beijo!
Continue Reading