11 de outubro – dia nacional da prevenção à obesidade

Vocês sabiam que hoje é o dia nacional da prevenção à obesidade?
Confesso que eu não sabia que existia um dia específico para isso e fico contente em saber que a saúde pública – ainda que de forma mínima – tem o olhar voltado à obesidade.
Eu como blogueira engajada na vida saudável resolvi pesquisar sobre o assunto para explanar um pouco aqui para vocês.
A obesidade é sim uma doença, pois gera alterações fisiológicas, patológicas, psíquicas dentre outras coisas no corpo. Ela é caracterizada pelo acúmulo de gordura corporal, gerado basicamente pela má alimentação e sedentarismo. 
A OMS (Organização Mundial da Saúde), fez uma projeção e afirma que em 2015, 2,3 bilhões de pessoas estarão na faixa de sobrepeso, conforme o cálculo de IMC, e 700 milhões estarão obesas. E atualmente no Brasil, mais de 40% da população encontra-se nessa situação de excesso de peso. Preocupante, não?
A obesidade não é apenas uma questão de estética. A saúde pública deveria ter um olhar mais cauteloso para esta doença, uma vez que gera inúmeras outras doenças que demandam tratamento e gastos, como diabetes, hipertensão, lesões, doenças respiratórias e até mesmo câncer. Imaginem só se tudo isso pudesse ser prevenido com uma mera perda de peso de forma saudável?
Uma amiga querida que conheci graças ao blog, que eliminou mais de 22kg, a Mariana Sartori (que já apareceu por aqui contando a história linda de emagrecimento dela!), postou hoje no Facebook uma imagem e um texto que me fizeram parar para pensar e refletir melhor sobre o assunto.
Não é fácil encarar uma mudança de hábitos. Envolve desde um planejamento alimentar, adequar a lista de compras para um outro tipo de alimentação (a saudável), passando por aquele empenho, força de vontade e determinação diários de praticar alguma atividade física e finalizando – com o mais difícil – que é mudar o psicológico da coisa, ver a vida de outra maneira, a maneira saudável.
A rotina maluca que todos nós vivemos pode ser um obstáculo, mas nunca uma desculpa para se manter na inércia. Assim como vocês, eu também tenho meus afazeres, responsabilidades, faculdade, casa, trabalho etc e consegui me adequar a um novo estilo de vida que, enquanto eu puder, eu levarei comigo.
E sinceramente? VALEU MUITO A PENA ter mudado. Graças a Deus eu mudei. Se eu tivesse que voltar atrás e fazer novamente, eu faria novamente. A qualidade de vida que adquiri nestes últimos meses eu não tive em nenhuma outra fase da minha vida.
Finalizo o post “conscientizador” com os dizeres da Mariana, que são os mesmos que os meus e de muitas outras pessoas que resolveram mergulhar na vida saudável e combater a obesidade: “Não há nada melhor do que estar bem consigo mesma, se sentir bem, ter disposição e ânimo para vida. Não é fácil cuidar da saúde, praticar exercício depois de um dia cheio de trabalho, mas também não é impossível. A recompensa vale a pena. Às vezes vamos desanimar, cansar e até pensar em parar tudo, mas não podemos desistir. Digo isso para mim mesma todos os dias.”.

Um beijo!

Continue Reading

Morar sozinho e comer saudável é possível?

Um dos grandes problemas de quem mora sozinho é ter que cozinhar e/ou ir atrás de alguma comida para matar a fome.
Acontece que, as ofertas do “mercado não-saudável” são enormes e presentes o tempo todo, sendo as principais escolhas da maioria das pessoas que moram sozinhas e são adeptas da praticidade.

É muito mais fácil e prático – e por que não dizer gostoso? – comprar nuggets, hambúrgueres, salsichas, frios, bolachas recheadas e chocolates. Legumes e verduras? Ir à feira? Escolher frutas na banca? Nem em sonho.

 Pensando nisso, resolvi esquematizar uma espécie de guia de compras/informativo, não só para quem mora sozinho, mas para todos que pensam em levar uma alimentação saudável e espero que, de algum modo, auxilie na ida ao supermercado. 😉


Alimentação saudável demanda sim um certo empenho na hora do preparo. É muito mais fácil tirar uma caixa de nuggets do freezer, colocar no forno, esperar alguns minutinhos e saborear “frango” empanado, crocante e quentinho do que escolher um maço de brócolis na feira, limpar, separar os caules, cozinhar em água fervente, escorrer a água e temperar da forma como quiser. Isso é um fato.

E mais, além do empenho no preparo de comidas saudáveis, uma alimentação saudável demanda planejamento, saber o que é permitido na sua dieta e fazer compras periódicas para estocar o que é necessário, evitando que se faça uso da desculpa de não ter alimentos saudáveis em casa para dar aquela escapadinha na dieta e comer besteiras por aí.

No entanto, garanto para vocês que um maço de brócolis tem MUITO MAIS benefícios do que uma caixa de nuggets. E garanto para vocês que uma alimentação saudável vale a pena, a nossa saúde agradece e o nosso corpo muda muito. Já citei aqui no blog algumas mudanças na minha saúde depois de toda a mudança na minha rotina.

E quem mora sozinho tem a vantagem de: MORAR SOZINHO! hahaha. Quem mora sozinho tem a liberdade de fazer sua própria compra, escolher seus próprios alimentos, não depender de alguém cozinhando para você, não ser obrigado a comer “o que tem pra hoje”, ou seja, você é quem cuida da sua alimentação. Sem contar que, quem mora sozinho e vive de dieta não compra gordices e não fica atiçado a comer tranqueiras, hahaha. Viram como tudo tem o lado positivo?

     Meu carrinho de compras!

Todas essas colocações não são, de forma alguma, para desanimar vocês, mas para esclarecer e talvez incentivar alguém que esteja pensando em iniciar uma reeducação alimentar.

Antes de começar a reeducação alimentar, eu sempre lia esses posts em alguns blogs e me sentia motivada a mudar, até que este dia chegou. Quem sabe eu também não sirva de start para alguém? rs

Espero que este post seja útil e ajude um pouco na hora de ir ao supermercado. Escolhas inteligentes são a chave do sucesso do emagrecimento!

Um beijo!

Continue Reading