Receita: Quiche vegetariana light

Recentemente postei a foto dessa quiche no meu instagram (@robertaluglio), vocês gostaram, pediram a receita e aqui está! 🙂

IMG_20151110_210608

Massa de grão de bico:

  • 500 gramas de grão de bico
  • Azeite
  • Sal

Deixar o grão de bico de molho de um dia para o outro e cozinhar por 20 minutos na pressão. Deixar esfriar e processar com azeite e sal à gosto.

Modelar a massa em uma forma redonda de fundo removível untada com óleo e farinha de trigo. Assar por 20 minutos em forno a 200°.

 

Recheio de cebola roxa e alho poró:

  • 2 cebolas roxas
  • 2 talos de alho poró
  • Sal e temperos à gosto – eu usei tomilho fresco e ficou ótimo!

Para o refogado, retirar as folhas do alho poró e reservar o talo. Para limpar bem, é só fazer um corte pela extensão dele e abrir bem as folhas embaixo da água corrente. Fatiar em meia lua o alho poró e a cebola. Temperar com sal e pimenta do reino à gosto.

 

Creme da quiche:

  • 3 ovos
  • 250 gramas de ricota (aqui você pode substituir por creme de leite e adicionar queijo ralado, mas como quis deixar a receita menos calórica, eu optei pela ricota)
  • Sal, pimenta do reino e noz moscada à gosto

Processar todos os ingredientes até que se forme um creme homogêneo.

 

Montagem da quiche:

Retirar a massa de grão de bico do forno, adicionar o refogado e em seguida o creme da quiche.

Para decoração, usei meia cebola roxa também fatiada em meia lua e posicionei nas bordas (vide foto). Salpicar orégano, tomilho e um pouco de azeite.

Em seguida, levar para o forno à 200º e assar por uns 30-40 minutos ou até que o creme esteja firme e a parte de cima dourada.

wpid-img_20151011_192546926-01.jpeg

Gostaram? É uma ótima opção para os vegetarianos e também para os que estão de dieta. Essa quiche é fácil de fazer e magrinha!

Me inspirei nessa receita aqui para esta quiche – obrigada mais uma vez, Gordelícias! 🙂

Se fizerem essa receita, postem nas redes sociais e me marquem para eu poder ver e dar like! Beijo! :*

 

Acompanhe o blog nas redes sociais:

Facebook <3 Instagram <3 Twitter <3 Snapchat: robertaluglio

Além do temaki: Poke Food

Faz bem um tempo que rola um hype de comida japonesa por aí, o número de restaurantes japoneses aqui em São Paulo é enorme e os pratos vão dos clássicos até os mais ousados, como sushi flambado, ovas de peixe, picanha no cardápio do rodízio (sim!) e por aí vai.

Hoje em dia outros tipos de culinária oriental estão ganhando espaço na gastronomia das grandes cidades, como a Thailandesa, Coreana, Filipina e Havaiana.

Esses dias vi na internet o tal do Poke e pesquisando mais sobre o assunto, descobri que é uma preparação de origem havaiana, feita em um pote/bowl, em camadas, com arroz, peixe cru cortado em cubos – geralmente atum ou salmão frescos – marinados em molhos bacanudos de shoyu e óleo de gergelim, finalizados com sementes de gergelim, pepino, algas, cebolinha etc.

P1130311-640x400

Onde encontrar um Poke para me deliciar com uma maravilha gastronômica dessas?

Se você não está no Hawaii ou na Califórnia, onde os pokes são bombásticos, existe um food truck de Poke Food aqui em São Paulo, chamado Mr. Poke (Fanpage | Instagram @mrpokebr).

Para a galera que está curtindo a vida em Florianópolis, tem um restaurante por lá de comida havaiana que serve poke, o Hawaiian Poke (SiteFanpage | Instagram @hawaiianpokebrasil).

dsc_6928

Nunca fui em nenhum dos dois (mas espero ir em breve!) e também nunca comi esse tipo de comida (apesar de ter certeza de que vou gostar, hahaha).

Pra quem gosta de comida japonesa como eu, acredito que não terá dificuldade de curtir os pokes, <3

Olha que legal os pokes na versão finger food para servir em festas:

JM-wide-poke-20141013120940214490-620x0

Sério, eu amei essa coisa de Poke Food! Achei legal compartilhar a ideia com vocês!

Alguém aí já experimentou? Me contem!

 

Acompanhe o blog nas redes sociais:

Facebook <3 Instagram <3 Twitter <3 Snapchat: robertaluglio

Hora do café!

Como vocês obviamente sabem (até porque está na minha biografia aqui do blog, hahaha), eu sou apaixonada por café!

Comecei a tomar depois que entrei na faculdade e precisava passar noites em claro estudando. E como vocês podem ver, virou um vício adquirido! hahaha

E nesse começo, eu só conseguia tomar café adoçado com açúcar – sempre achei UÓ café com adoçante, simplesmente não rola. Depois de um tempo, mais especificamente da dieta, eu aprendi a tomar café sem adoçar e hoje em dia eu adoro o amarguinho! Não gosto mais de café adoçado porque consigo sentir muito melhor o sabor dele amargo, sem contar as calorias vazias que deixo de ingerir, né? 😀

No final de semana passado fui a um restaurante/café que serviu o café mais maravilhoso da maravilhosidade que eu já experimentei na vida, hahaha. Perguntei a marca e era o Unique Cafés, do sul de Minas Gerais.  Ele é suave, desce gostoso sem dar aquele tapa na cara, sabem? rs

Pedi um tiramissu (sobremesa que vai café, haha) e um espresso para acompanhar.

IMG_20150926_220821745-01

E também pedimos o café coado (no coador mesmo, gente… aquele método tradicional) para provar. Foi meu favorito! <3

IMG_20150926_221212089-01

Eu geralmente prefiro cafés mais suaves aos cafés espressos. O espresso é bom, mas acho forte demais pro meu paladar.  🙂

Vi no site da Unique Cafés, eles tem uma loja virtual com os diversos tipos de pós, sabores e torras, para gente escolher e comprar online! Eba!

Um beijo e um cheiro de café pra vocês! <3

 

Acompanhe o blog nas redes sociais:

Facebook <3 Instagram <3 Twitter <3 Snapchat: robertaluglio

Review: Restaurante Via Francisco

Esse final de semana fiz uma das coisas que eu mais gosto de fazer: sair pra comer! Viajei com amigos queridos para a cidade dos meus pais e sábado à noite foi dia de turistar e conhecer um lugar novo, o Via Francisco.

O lugar fica em Tremembé (interior de São Paulo), uma cidadezinha bem pequena com uma vibe total de interior. A proposta do Via Francisco é um mix de acontecimentos: é bar, restaurante, café e ateliê. Além das obras de arte, a decoração é “caipira chique” (foi a melhor definição que conseguimos chegar, hahahaha), bem colorida, típica da região, com exposição de quadros e objetos antigos. E como atração musical, um DJ que não abandonou os ares vintage e faz o som com discos de vinil!

Sobre os pratos… Ah, os pratos! Foi difícil escolher, o menu é muito interessante e diferente, comandado pelo chef Pedro Couto. Depois de analisar tudo, cada um escolheu um prato diferente. Eu pedi uma massa recheada com pasta de gorgonzola e pistache, ao molho de manteiga e alecrim. <3

IMG_20150926_213055971-02

O prato de sabor mais inesperado foi o ravioli recheado com carne seca e abóbora.

IMG_20150926_213130183-01-01

E o prato que eu achei mais criativo foi a feijoada invertida.

IMG_20150926_213153592-01-01

E de sobremesa, uma das minhas favoritas: Tiramissu! Vocês sabem que eu amo café, né? Sobremesa com café, então…

IMG_20150926_220821745-01

E sobre o café especial, o que eu posso adiantar é: sen-sa-ci-o-nal! Tão sensacional que merece um post só pra ele, rs. Aguardem! 😉

O valor dos pratos varia de R$ 30 a 40 reais e a sobremesa R$ 10 reais.

Eu amei o restaurante, o ambiente, a comida, o atendimento, tudo! Pra quem for do Vale do Paraíba e região, ou estiver a passeio por lá, vale a pena a visita!

Um beijo!

 

Acompanhe o blog nas redes sociais:

Facebook <3 Instagram <3 Twitter <3 Snapchat: robertaluglio

Minhas receitas fit – parte 3

Olá, pessoal!
Olhem só quem está de volta: as receitas fits que vocês tanto gostam, hahaha.
Já postei todas elas no Instagram – para quem ainda não me segue, é @robertaluglio – e sempre que invento algo diferente posto por lá!
1. Escondidinho de carne moída com abóbora
Essa receita já apareceu detalhada aqui no blog neste post.
2. Torta de frango low carb
 
Essa receita eu vi no Blog da Mimis e reproduzi, fica uma delícia e não rola aquele peso na consciência por encher a cara de massa, rs.
Para uma torta pequena, fiz meia receita. Usei:
  • meia couve flor cozida
  • 2 colheres de sopa de farelo de aveia
  • 1 ovo
  • sal e temperos à gosto
Primeiro bati a couve flor cozida no liquidificador com um pouco de água, até ficar homogênea. Depois acrescentei os outros ingredientes e bati novamente.
Para o recheio, usei frango desfiado refogado que eu já tinha pronto (se não me engano, refoguei com cebola, tomate e ervilhas frescas). Aqui vale tudo, o refogado fica à gosto do freguês. 🙂
Na montagem, coloquei metade da massa no fundo da assadeira, ajeitei para ficar certinho, adicionei o recheio de frango e por fim adicionei a outra metade da massa para cobrir.
20 minutos no forno e está pronta!
3. Sushioca de banana com canela
A evolução da crepioca para… sushioca! rs
A receita é simples, a mesma da massa da crepioca:
  • 1 ovo
  • 1 colher de sopa de goma de tapioca
  • Colocar numa frigideira antiaderente, assar dos dois lados e está pronto!
Para o recheio amassei uma banana, coloquei 1 minuto no microondas para aquecer, coloquei na crepioca, adicionei um fio de mel, enrolei e polvilhei com canela. Fácil, né?
4. Pão de mel integral de microondas
Esse pão de mel ficou divino!!
Aliás, ficou mais para bolo de mel do que para pão de mel, rs.
Para um bolinho unitário, usei:
  • 2 colheres de sopa de farinha de trigo integral 
  • 1 colher de sobremesa de mel
  • 1 colher de sobremesa rasa de açúcar mascavo (se quiser dá para tirar o açúcar e usar 2 colheres de mel, é só tomar cuidado para não exagerar e ficar doce demais!)
  • 1 ovo
  • 2 colheres de sopa de iogurte desnatado
  • 1 colher de sobremesa de óleo de girassol
  • 1 colher de chá de fermento em pó
  • canela, noz moscada, cravo em pó, essência de baunilha à gosto (também cuidado para não exagerar nas especiarias!)
Bate tudo isso numa tigela que possa ir ao microondas com um garfo mesmo e leva ao microondas por 1:30, potência 8.
Desenformar, colocar um fio de mel por cima, polvilhar canela e fim! 🙂
Foi uma das melhores invenções de microondas, eu adorei o resultado.
 
5. Bicho de pé fit
 
Esse docinho é um queridinho da galera, né? Todo mundo curte um bicho de pé de festa infantil!
Criei essa versão um pouco menos calórica, já que não vai leite condensado, para quem está de dieta poder comer com um pouco menos de culpa, rs.
  • 2 colheres de sopa de leite em pó desnatado
  • 1 colher de café de pó de gelatina zero de morango
  • 1 colher de sopa de água ou até dar o ponto
Misturar todos os ingredientes até ficar homogêneo (como na foto) e comer! Simples assim, hahaha.
A água é muito no olhômetro… tem que adicionar aos poucos e observar até ficar uma pasta.
E ah, me perguntaram no insta… não vai ao fogo, viu? É só misturar tudo mesmo! 😉
Espero que tenham gostado!
Um beijo!

Receita: cupcake fit

Olá, pessoal!
Hoje trago para vocês um docinho fit, porque afinal, quem não gosta de um docinho? hahaha
Postei no instagram ontem – me segue lá para acompanhar mais receitinhas! @robertaluglio – e foi sucesso total!
Vi essa receita no Cardápio Maromba e fiz algumas adaptações. Não faço uso de suplementos e nem de adoçantes, prefiro usar açúcares mais naturais e saudáveis (se interessar o tema posso fazer um post sobre isso!), mas me interessei bastante pela receita, principalmente pelo lance da batata doce na massa. Vamos lá!
Ingredientes:
  • 100g de batata doce cozida e bem amassada com o garfo
  • 1 ovo inteiro
  • 1 colher de sopa rasa de farinha de trigo integral (para dar liga na massa)
  • 1 colher de sopa de cacau em pó
  • 2 colheres de sopa de açúcar mascavo
  • 1 colher de sopa rasa de fermento em pó
Misturar tudo com o garfo e colocar para assar em forminhas de cupcake (uso essas de silicone que são A praticidade na vida, não gruda e os bolinhos soltam com uma facilidade só!). DIFÍCIL ASSIM, rs.

Assar por 15 minutos em forno médio, a uns 180 graus.

Rendeu 5 cupcakes, como vocês podem ver na foto acima.

Comi com geléia zero açúcar de framboesa (também adoro essa geleia! É a mais saudável que já achei no mercado).
A cobertura fica à critério do freguês, rs. Só não vale mandar um super brigadeiro gordo, né, gente? A intenção aqui é fazer substituições inteligentes, para tornar a coisa mais saudável possível.
Olhem a textura ótima que fica! *-*
Espero que tenham gostado da ideia!
Um beijo!

Receita: chips de batata doce!

Um dos alimentos presentes na dieta da galera que frequenta as academias, principalmente a galera que tem o objetivo da hipertrofia, é a batata doce.

Ela possui baixo índice glicêmico, ajuda a controlar o colesterol, fortalece o sistema imunológico, ajuda na prevenção de anemia, rica em vitaminas A, C e E e é fonte de ferro e cálcio. 

A forma usual de preparo dela é cozida e acompanhada de peito de frango. Um verdadeiro clássico maromba!

Para mudar um pouco a textura e o sabor, os chips de batata doce são uma boa pedida! Eu adoro e preciso me controlar para não comer muito, hahaha.

Passo 1: cortar as batatas em rodelas finas (eu não retiro a casca, apenas lavo bem e corto).

Passo 2: cozinhar as batatas em água fervente por 8 minutos (usei 4 batatas médias, gosto de fazer uma porção razoável para ir comendo por uns dias).

Passo 3: escorrer as batatas (foto 1).

Passo 4: dispor as batatas em uma assadeira, adicionar sal e azeite à gosto ou qualquer outro tempero que desejar (foto 2).

Passo 5: colocar em forno médio, uns 180-200 graus, por uns 30 minutos e ficar de olho sempre. O ponto certo é quando as bordas começam a dourar.

E voilá!

Chips de batata doce crocantíssimos e prontos para acompanhar refeições marombas!

Gostaram da ideia?

Um beijo!