TAG: Comida // BEDA #12

Se tem uma pergunta que eu NUNCA sei o que responder é qual é minha comida favorita. Eu gosto de comida. Fim. 😛

Mas tá, tem hora que a gente vicia em algumas coisas e dá até para falar que são as preferidas do momento. Como eu gosto de comer, resolvi falar um pouco disso fazendo essa tag.

1. Qual era sua comida favorita quando criança?

Gemada. Sério. Eu amo gemada e enchia muito o saco da minha mãe para fazer pra mim. Mas, minha mãe muito consciente da filha gordinha, dava uma segurada na filhota e por isso criou uma regra: gemada só no dia do aniversário, com raras exceções.

2. Qual comida te gera uma lembrança boa?

Arroz e feijão da minha mãe. É inigualável.

3. Qual é a receita de família que mais faz sucesso na sua casa?

Massas. Família italiana é aquela coisa, né? Minha mãe arrasa demais nas massas frescas! <3

pasta

4. Qual é sua comida salgada preferida do momento?

Pizza.

pizza

5. Qual é o seu doce preferido do momento?

Acho que chocolate, apesar de não ser tão chocólatra assim. Almoçar em restaurante de segunda à sexta e ver aqueles chocolatinhos vagabundos no caixa tem sido meu exercício mental por não comer/não gastar desnecessariamente. The struggle is real. 

6. E a bebida preferida do momento?

Água com gás e limão. Amo.

7. O que você não gosta de comer de jeito nenhum?

Ervilha em lata. Eca!

8. Qual é o seu restaurante favorito?

Eu e meu namorado andamos numa fase VICIADOS no Hambúrguer do Seu Oswaldo, no Ipiranga, em São Paulo. Lanchonete simples de tudo, com poucas opções no cardápio, preço justíssimo e um hamburguinho simplesmente sensacional! <3

Só de lembrar do molhinho de tomate e da maionese caseira de lá me deu água na boca.

hambúrguer do seu oswaldo

9. O que você considera uma comida estranha e que adora comer?

Bife de fígado. Me julguem.

Ew summer

10. O que você e seus amigos gostam de comer quando saem?

Hambúrguer. A gente é muito trendy.  ¯\_(ツ)_/¯

 

Fiquem à vontade para responder a TAG, vou adorar ler e conhecer um pouco mais dos gostos de vocês!

Besos com quesos! 😀

 

Me encontre nas redes sociais:

Facebook | Instagram 

 

20431177_10155557924597556_19488188861920874_n (1)

Café por aí: Coffee Lab

Depois de muitas indicações de amigos, finalmente fui conhecer o Coffee Lab.

O café fica na Vila Madalena em São Paulo, ambiente super agradável, cheio de folhagens no corredor de entrada e a decoração do interior é bem rústica/industrial. A sensação é de estar dentro de um laboratório mesmo, pelo “maquinário” de café exposto no meio do ambiente, pelo uniforme dos funcionários e pelo estilo da decoração.

SONY DSC

coffeelab2

Eu fui conhecer o local em um sábado à tarde e estava bem cheio. Fiquei quase 1h na fila esperando vaga em alguma mesa. Realidades de lugares famosinhos em São Paulo, afinal…  ¯\_(ツ)_/¯

Pedi um sanduíche de pão orgânico, com queijo minas padrão e um café filtrado pelo método Clever. O grão que escolhi era o Catuaí Vermelho do Sítio Alto Ouro.

O sanduíche era INCRÍVEL, um dos melhores sanduíches tostados que já comi (sério!), saiu por R$14 e o café era igualmente incrível, bem leve, doce e um pouco cítrico. Saiu uns R$17.

cl1

Como na maioria dos cafés, o pedido quem faz é o próprio cliente no balcão, ou direto na cozinha, como no Coffee Lab. A água filtrada também é à vonts e todos podem pegar direto de uma torneira/pia, disposta no meio do salão.

Achei o valor dos produtos um pouco alto, mas a experiência e o local muito bacanas. É o tal do valor agregado ao produto que faz o conjunto valer a pena.

Eu voltaria lá pelos grãos especiais difíceis de encontrar nas cafeterias e também pelo atendimento, todos os baristas que conversei foram muito simpáticos, explicaram sobre o grão escolhido, sobre o método de preparo etc.

Levei para casa um pacotinho do Café da Raimunda. Segundo a história do cardápio, Raimunda é funcionária da casa e todos os dias prepara um café com diversos grãos misturados. Gostei bastante, mas não mais do que o Catuaí Vermelho que tomei lá. <3

cl2

Se quiserem conhecer, o Coffee Lab fica na Rua Fradique Coutinho, 1340 – Pinheiros, São Paulo. Para quem aprecia café, o lugar é uma escola sobre café, vale muito a pena a visita! Selo CMC de aprovação! 😀

Um beijo!

Me encontre nas redes sociais:

Facebook | Instagram | Twitter 

Cafés por aí: Urbe Café

Mais um post de lugarzinho para comer e beber que vocês tanto gostam! \o/

No carnaval saí para almoçar e aproveitei para dar mais um check na minha lista de cafés que pretendo visitar.

Fui com amigos no Urbe Café, super comentado e referência para amantes da cafeína. O Urbe Café fica na  R. Antônio Carlos, 404 – Consolação. 😉 

O local tem decoração ~trendy~ dos cafés daqui de São Paulo: estilo rústico industrial, mesas de madeira, parede de giz, grafite na outra parede… esse mood “descolado e cool” que vocês sabem.

IMG_20170227_132014512

IMG_20170227_154932948

Para comer, eu pedi um sanduíche de porco desfiado, com coentro, cenoura, numa baguete e acompanhava maionese temperada, tipo um molho tártaro. Achei o preço bom pelo prato servido, o pão era muito crocante e bem recheado.

Meu namorado pediu um hambúrguer de salmão defumado, com cebola roxa, cream cheese e rúcula, no brioche. Era sensacional! De longe, o melhor prato da mesa. Só tenho um ponto específico para falar: o tamanho. O hambúrguer era bem pequeno, confesso que ficamos um pouco decepcionados quando vimos aquele mini hambúrguer chegando. Os lanches saíram na faixa de R$30.

lancho

Minhas amigas pediram massas. Uma foi de ravioli recheado com mussarela de búfala, ao molho sugo, com azeitonas pretas e manjericão; a outra foi de spaghetti de abobrinha ao molho sugo com falafel. Comentário delas: “spaghetti de abobrinha estava um pouco salgado. O ravioli estava ok.” As massas saíram na faixa de R$30 também.

massas

Para finalizar, pedimos um café coado (❤) com o Grão 01 da casa. Era bem gostoso, “acidinho e doce” do jeito que eles prometem. Minha amiga expert em espresso pediu um e gostou bastante.

IMG_20170227_151908200

De sobremesa, pedi o bolo gelado de coco. Era uma delícia, mas não achei que valia o preço – uns R$7. E desculpem que esqueci de tirar foto. 😛

Sobre o atendimento, senta que lá vem história…

Quando cheguei no Urbe, logo me interessei pelos cafés em grãos – já que ganhei um moedor e tô amando tomar café moído na hora ❤ -, chamei o barista, perguntei sobre a origem dos grãos, tipos e preços. O barista Murilo me explicou tudo que perguntei e me informou que os Grãos 01, 02 e 03 custavam R$19, R$25 e R$35, nesta ordem.

Na hora de pagar, pedi um Grão 01 e na conta veio custando R$25. Chamei o barista, questionei o valor e o cara não demonstrou o mínimo interesse em resolver o problema, inclusive disse que ele fala o preço a todo momento aos clientes, que eu poderia ter ouvido errado, me confundido e que eu não era obrigada a levar o café.

E detalhe: preço dos pacotes não estava escrito em nenhum lugar – POIS É. Nem no cardápio, nem na parede de giz, nem no display dos produtos. A única forma de se obter (e confiar) essa informação era no boca a boca. Erro rude para um estabelecimento que vende produtos, convenhamos.

IMG_20170227_132642646

Enfim, foi bem chato. Eu não levei o tal do Grão 01 e digo que, como cliente, a situação ficou bem desconfortável e eu não recomendaria o local, apesar de ter comido bons (não excelentes) pratos e experimentado bons cafés.

Para mim, um bom atendimento vale muito na experiência. Acho que esse tópico vale um outro post de reflexão. Escreverei em breve, prometo. :*

Se vocês forem ao Urbe, já foram, tiveram boas/más experiências, me contem nos comentários. Experiência boa é experiência compartilhada. 😉

Um beijo!

 

Acompanhe o blog nas redes sociais:

Facebook | Instagram | Twitter 

Review: Kød Steakhouse

Hambúrguer é gostoso, é democrático, tem pra quem é carnívoro, tem pra vegetariano, tem pra vegano, tem sem muita firula, tem com muita firula. Como não amar? 😄

Vocês já devem ter notado pelo blog e pelas minhas redes sociais que eu sou bem hamburgóloga. As hambúrguerias estão bem na moda e eu tô achando isso lindo, desde que ofereçam qualidade. #exigente

Conheci a Kød através de uma amiga do trabalho num dia em que fomos com a equipe almoçar lá. Pedi o hambúrguer Sister Rosetta que vem com duplo cheddar, molho bernaise, cogumelos frescos tostados e cebola roxa – confesso que cogumelos sempre me conquistam em qualquer cardápio.

De acompanhamento, pedi um Coleslaw Thai (AMO!). Achei tudo ótimo!

sensa burguer • 🍔✨

A post shared by Roberta Luglio (@robertaluglio) on

 

Naquele dia, também pedimos uma sobremesa, o Cheesecake Brulée de queijo canastra e lemon curd. AFE! Doce, ácido, macio, tudo na medida certa. 😉

 

Na semana passada, voltei com essa mesma amiga para comemorarmos o aniversário dela e a impressão foi a mesma: tudo ótimo!

Dessa vez, de entrada, pedimos o Corn Bread. Uma fofurinha em forma de muffin de milho quentinho com manteiga! <3

bread

Pedi um dos carros chefes da casa, o Adão, um blend de costela bovina, queijo canastra, cebola caramelizada, rúcula e maionese de alho. Simplesmente delicioso. Pedi também o chá mate com limão, bem azedinho, não muito doce, na medida. 😉

Ah! Não posso esquecer de mencionar o catchup e a mostarda (e a pimenta também, mas nunca experimentei porque não curto muito) feitos na própria casa. Nem sou super fã de catchup no lanche, acho que ele rouba muito o sabor de tudo, mas o da Kød é outro nível… Vale bem a pena colocar um molho a mais no hambúrguer. 😉

lanche

De sobremesa, pedi o que eu já estava louca pra pedir – já tinha visto no cardápio da primeira vez e na página do Facebook deles – o Awesome Cookie: cookie caseiro (meu doce preferido ❤) de chocolate, com uma canequinha de leite baunilhado quentinho. É muito amor!

cookie

 

Das duas vezes em que fui lá gostei igualmente dos hambúrgueres. Dá pra notar a qualidade dos ingredientes e a preocupação em harmonizar coisas excelentes, sabe?

Por conta disso, não acho os hambúrgueres de lá muito caros, acho que tem preços justos. O valor fica na média dos R$25.

A Kød também tem outra especialidade que são os steaks. Das vezes que eu fui lá, pedi hambúrguer e nunca comi nenhum steak. Eu sei que o preço desses pratos são mais elevados, mas infelizmente não posso opinar quanto ao sabor. 😉

O atendimento das duas vezes foi bom, não ficamos esperando muito tempo para sentar (apesar do restaurante ser sempre cheio) e a comida também veio rápido.

Minhas observações negativas são: acompanhamentos meio caros e o fato de não aceitar meu VR da Alelo.

Dos acompanhamentos que já experimentei (fritas com lemon pepper e coleslaw thai), achei meio desproporcional o preço pela quantidade da porção. As fritas R$8, o coleslaw R$12 e a porção é servida dentro de uma canequinha.

13873236_929701423818666_8397999869660296943_n

(imagem: página do Facebook da Kød)

No mais, acho tudo lá excelente. Voltaria lá sempre que possível, recomendaria aos amigos, levaria os amigos e digo que entrou pro rol das minhas hamburguerias favoritas de São Paulo. ❤

Para quem quiser conhecer, a Kød fica na R. Simão Alvares, 49, Pinheiros, São Paulo. Eles tem site com cardápio e preços (super ponto positivo!) e página no Facebook, onde postam promoções, novidades de pratos etc. 🙂

Espero que tenham gostado. Vale a pena conhecer!

 

Acompanhe o blog nas redes sociais:

Facebook | Instagram | Twitter | Snapchat: robertaluglio

Três do Mês #2

Já passamos da metade do mês e eu ainda não postei os Três do Mês de Agosto. Ces me perdoam, né? hahaha.

Agosto foi um mês incrível e ao mesmo tempo insano pra mim, cheio de acontecimentos na vida profissional e serviu muito para eu desconstruir aquelas bad vibes que o mês normalmente tem. 🙂

Quem leu o primeiro Três do Mês de Julho já sabe: nessa série mensal de posts eu mostro as três coisas mais bacanas que eu vi, vivi, li, comi, comprei, visitei etc no mês anterior.

1. Café

Eu finalmente consegui conhecer um café que eu morria de vontade de ir, o Por um Punhado de Dólares. Café delícia, métodos bem bacanas, bolos gostosos e uma experiência ímpar.

img_20160806_165418468-01-02

Tem resenha completa neste post aqui. 

 

2. Compras

Eu sou muito, mas muito, relapsa para capinhas de celular, tablet etc. O celular uso sem capinha nenhuma e o iPad eu uso uma capinha que ganhei há uns 3 anos atrás e nunca troquei, hahaha.

Por uma sorte das interwebs, um dia entrei no site da Imaginarium e achei essa capinha de máquina de escrever pela bagatela de R$39. Há um tempo atrás eu vi uma foto do case de notebook com essa arte e me apaixonei.

img_20160816_102516099-02

Agora meu iPad tá de cara nova, bem lindão e o achado foi por preço amigo.

 

Uma outra comprinha que fiz e que estava querendo há um tempo, foi o batom líquido do Pausa para Feminices, o Hermione e o corretivo líquido Niina Secrets para T.Blogs, na cor 03.

img_20160917_125114838-01

É um marrom, malva, arroxeado de uma paleta de tons frios (gostaram da explicação? hahaha). Foi a primeira vez que usei batom líquido, acreditam? Achei a textura dele bem diferente do batom em bala, o toque nos lábios é bem seco e a cor dura bastante. A desvantagem que achei é que vai saindo na parte interna da boca e a parte externa fica lá intacta, o que não acontece comigo quando uso batons em bala.

Comprei na loja online da T.Blogs, o batom saiu R$26,29 e o corretivo saiu R$33,90.

 

3. Série

Passei o mês de agosto simplesmente viciada em Orphan Black. Que série foda! <3

aa_orphanblack_thumbnail_s2_02_web

A série é de drama/suspense, cujo tema principal é clonagem humana. Para mim, o mais incrível da série é ver como cada clone leva uma vida diferente, como cada uma tem personalidade peculiar e histórias distintas, apesar da mesma origem genética. Vale super a pena dedicar algumas horas (ou dias, :P) para assistir Orphan Black.

Virei muito fã de Tatiana Maslany, a atriz protagonista que interpreta os vários clones. <3

 

Essas foram minhas experiências e coisinhas de Agosto, espero que tenham gostado! 😉

Nos vemos por aí! :*

Siga o blog nas redes sociais:

Facebook | Instagram | Twitter 

Café por aí: O Café

Há algum tempo, vi esse post e deixei aqui salvo. Essas cafeterias entraram para minha lista de prioridades.

Semana passada fui ao “O Café” para almoçar e conhecer o lugar.

menu

A começar por essas lâmpadas incandescentes que me encantaram logo que entrei. O local é pequeno, mas bem com espaço bem aproveitado. Achei um charme as paredes em madeira in natura, folhagens e prateleiras expondo utensílios para café.

ambiente

Apesar de ser uma cafeteria, o cardápio é bem servido com opções de almoço, café da manhã e lanches. Eles servem saladas, massas, quiches, salgados, tapiocas e sobremesas. E claro, cafés e bebidas preparadas com café.

Para o almoço, eu pedi a massa do dia, um ravioli delícia, com massa de mandioquinha, recheado de presunto parma e queijo brie. Meu namorado pediu uma lasanha à bolognesa.

ravioli

Achei o molho bem gostoso, de tomate verdadeiro – fico bem incomodada quando peço massas e o molho é industrializado, parece que perde todo brilho do prato, rs – adorei a massa de mandioquinha e o recheio, estavam saborosíssimos! Essa massa saiu por R$22,90.

lasanha

Meu boy também gostou bastante da lasanha (ele pediu a pequena), disse que a massa era leve, era bem recheada e o molho à bolognesa era bem gostoso também. A lasanha saiu por R$23,90.

Quando estávamos almoçando, vi umas quiches com salada passando para as mesas do lado e confesso que fiquei bem curiosa para experimentar! Eles tem opções veganas com abóbora que afff, me conquistou só pelo visual… eu sou vidrada por uma salada (é sério e não estou zoando! hahah)! Em breve pretendo voltar ao O Café para experimentar esses pratos. 🙂

Depois das massas, pedimos um café cada e uma sobremesa: o Tea Cake, bolo queridinho da casa.

O Tea Cake é feito com farinha integral, açúcar mascavo e coberto com doce de leite argentino MA RA VI LHO SO! Sério, comeria litros só do tal do doce de leite argentino, hahah. O Tea Cake saiu por R$11,20.

bolo

Como toda boa cafeteria que se preze, O Café oferece vários tipos de métodos de extração, dentre coados e tipos de espressos. Eu sempre gosto de experimentar os cafés coados, porque gosto do sabor mais suave, mas optei por um espresso carioca, que nada mais é do que o espresso tradicional de 30 ml com mais 30 ml de água.

Achei muito interessante e bem explicado o cardápio de café deles. Os cafés extraídos na máquina vem com a descrição da quantidade de bebida e ingredientes, como o espresso tradicional de 30ml, o carioca que tem mais água, o macchiatto que vai leite etc.

Uma coisa que nos chamou atenção, foi o fato do espresso de 30ml e o de 50ml custarem o mesmo valor: R$4,60. Perguntamos para a barista e ela nos explicou. O café espresso mundialmente tradicional é servido em doses de 30ml, mas o brasileiro está acostumado a tomar doses maiores, de em média 50ml de bebida pronta. Inclusive, já expliquei isso nesse post aqui.

Nós gostamos bastante da proposta de refeições e do próprio café do Café. Vale muito a pena conhecer quem estiver pela região da Berrini. O Café fica na Rua Flórida, 1598, Brooklin – São Paulo. Eles também tem Fanpage no Facebook. 

Espero que tenham gostado! <3

Um beijo!

 

 

Siga o blog nas redes sociais:

Facebook | Instagram | Twitter | Snapchat: robertaluglio

Review: Dale Milanesa

Esse final de semana o blog foi convidado para conhecer um restaurante novo que abriu nos Jardins, especializado em pratos à milanesa, o Dale Milanesa.

A proposta da casa é servir pratos à milanesa, no sistema fast food – a gente pede e paga o pedido no balcão e o garçom entrega na mesa. Adoro essa simplicidade de atendimento e sou muito a favor dessa vibe do “cliente se virar sozinho”. Torço muito para que isso vire moda nos restaurantes e cafés de São Paulo. 🙂

dalemilanesa_1

O Dale me conquistou primeiramente com a playlist: pop rock nacional dos anos 80. Sabem as famigeradas músicas de karaokê que todo mundo sabe cantar? Pois é. Capital Inicial, Kid Abelha, Titãs e outros sons fizeram parte da trilha sonora do nosso jantar. Gostei do som, da iluminação e principalmente da decoração do Dale (sou apegada à decoração dos lugares, me deixem :P).

 

parede

Também achei muito interessante a ~sistemática~ do cardápio, composto basicamente de filés e hambúrgueres, além de petiscos e sobremesas.

A gente escolhe o tipo da carne (lembrando que tudo lá é à milanesa), escolhe o topping (cheddar + barbecue, marguerita, muçarela, 4 queijos ou rúcula + tomate cereja), escolhe 2 acompanhamentos (purê de batata, salada, arroz, chips de batata inglesa ou chips de batata roxa) e voi lá! Com os hambúrgueres a sistemática é quase a mesma: a gente escolhe o tipo da carne e depois os “pertences” do lanche (barbecue, clássico, cebola caramelizada ou jalapeño).

Eu pedi um filé mignon, topping de rúcula + tomate cereja (amo rúcula!), chips de batata inglesa e salada.

Eu gostei o filé. A carne não é muito alta, estava bem passada e a casquinha muuuuito crocante! Os chips de batata também estavam uma delícia, mas confesso que prefiro batatas fritas em outro formato, tipo aquelas rústicas, sabem? Minha nota para o filé é 8, considerando a espessura da carne, que pelo meu gosto pessoal, poderia ser um pouco maior e também pelas batatas. O preço desse prato é R$36.

file

Meu namorado pediu um hambúrguer de cebola caramelizada. O hambúrguer foi um show a parte. Eu jamais imaginei comer um hambúrguer empanado e digo que superou todas as minhas expectativas! A carne também estava bem passada, a casquinha muuuuito crocante e a cebola caramelizada no melaço de cana estava muuuito deliciosa. O pão carimbado com o logo do restaurante também era um charme. Resumindo: não sei o que dizer, apenas sentir. Nota 10! O hambúrguer saiu R$26.

hamburguer

Chegada a hora tão esperada: a sobremesa. Quem me conhece sabe que sou um tanto anormal e não como sorvete, mas com aquelas casquinhas tão crocantes, foi impossível não pedirmos o tal do sorvete à milanesa.

sorvete

Mesmo sem ser fã de sorvete, eu gostei muito da sobremesa! A ganache de chocolate soava quase como uma pornografia gastronômica caindo sobre a bola de sorvete à milanesa. E claro, mais uma vez, a casquinha estava estupidamente crocante. Elevou o nível de dignidade do sorvete. O sorvete saiu por R$12.

Chamei meu namorado, que ama sorvete, para dar a nota para a sobremesa, já que não sou uma boa referência para sorvetes, rs. Palavras dele: “daria nota 8. Não achei a casca sabor chocolate tão saborosa, faltou sabor de chocolate de verdade e o sorvete poderia ser mais cremoso… depois de frito/quente, o sorvete ficou muito aguado. “.

 

Conclusão: gostamos muito do ambiente, da comida, do atendimento e da proposta do Dale Milanesa. Os preços e as porções são honestos. Vale a visita! 😉

O Dale Milanesa fica na Alameda Santos, 843, nos Jardins, em São Paulo. Abre de segunda à sábado no horário do almoço e de quinta à sábado no período da noite. O Dale também está no Facebook (clique aqui).

Espero que tenham gostado e sentido um pouco do CROC CROC dos pratos do Dale! <3

 

Siga o blog nas redes sociais:

Facebook | Instagram | Twitter | Snapchat: robertaluglio