Review: Dale Milanesa

Esse final de semana o blog foi convidado para conhecer um restaurante novo que abriu nos Jardins, especializado em pratos à milanesa, o Dale Milanesa.

A proposta da casa é servir pratos à milanesa, no sistema fast food – a gente pede e paga o pedido no balcão e o garçom entrega na mesa. Adoro essa simplicidade de atendimento e sou muito a favor dessa vibe do “cliente se virar sozinho”. Torço muito para que isso vire moda nos restaurantes e cafés de São Paulo. 🙂

dalemilanesa_1

O Dale me conquistou primeiramente com a playlist: pop rock nacional dos anos 80. Sabem as famigeradas músicas de karaokê que todo mundo sabe cantar? Pois é. Capital Inicial, Kid Abelha, Titãs e outros sons fizeram parte da trilha sonora do nosso jantar. Gostei do som, da iluminação e principalmente da decoração do Dale (sou apegada à decoração dos lugares, me deixem :P).

 

parede

Também achei muito interessante a ~sistemática~ do cardápio, composto basicamente de filés e hambúrgueres, além de petiscos e sobremesas.

A gente escolhe o tipo da carne (lembrando que tudo lá é à milanesa), escolhe o topping (cheddar + barbecue, marguerita, muçarela, 4 queijos ou rúcula + tomate cereja), escolhe 2 acompanhamentos (purê de batata, salada, arroz, chips de batata inglesa ou chips de batata roxa) e voi lá! Com os hambúrgueres a sistemática é quase a mesma: a gente escolhe o tipo da carne e depois os “pertences” do lanche (barbecue, clássico, cebola caramelizada ou jalapeño).

Eu pedi um filé mignon, topping de rúcula + tomate cereja (amo rúcula!), chips de batata inglesa e salada.

Eu gostei o filé. A carne não é muito alta, estava bem passada e a casquinha muuuuito crocante! Os chips de batata também estavam uma delícia, mas confesso que prefiro batatas fritas em outro formato, tipo aquelas rústicas, sabem? Minha nota para o filé é 8, considerando a espessura da carne, que pelo meu gosto pessoal, poderia ser um pouco maior e também pelas batatas. O preço desse prato é R$36.

file

Meu namorado pediu um hambúrguer de cebola caramelizada. O hambúrguer foi um show a parte. Eu jamais imaginei comer um hambúrguer empanado e digo que superou todas as minhas expectativas! A carne também estava bem passada, a casquinha muuuuito crocante e a cebola caramelizada no melaço de cana estava muuuito deliciosa. O pão carimbado com o logo do restaurante também era um charme. Resumindo: não sei o que dizer, apenas sentir. Nota 10! O hambúrguer saiu R$26.

hamburguer

Chegada a hora tão esperada: a sobremesa. Quem me conhece sabe que sou um tanto anormal e não como sorvete, mas com aquelas casquinhas tão crocantes, foi impossível não pedirmos o tal do sorvete à milanesa.

sorvete

Mesmo sem ser fã de sorvete, eu gostei muito da sobremesa! A ganache de chocolate soava quase como uma pornografia gastronômica caindo sobre a bola de sorvete à milanesa. E claro, mais uma vez, a casquinha estava estupidamente crocante. Elevou o nível de dignidade do sorvete. O sorvete saiu por R$12.

Chamei meu namorado, que ama sorvete, para dar a nota para a sobremesa, já que não sou uma boa referência para sorvetes, rs. Palavras dele: “daria nota 8. Não achei a casca sabor chocolate tão saborosa, faltou sabor de chocolate de verdade e o sorvete poderia ser mais cremoso… depois de frito/quente, o sorvete ficou muito aguado. “.

 

Conclusão: gostamos muito do ambiente, da comida, do atendimento e da proposta do Dale Milanesa. Os preços e as porções são honestos. Vale a visita! 😉

O Dale Milanesa fica na Alameda Santos, 843, nos Jardins, em São Paulo. Abre de segunda à sábado no horário do almoço e de quinta à sábado no período da noite. O Dale também está no Facebook (clique aqui).

Espero que tenham gostado e sentido um pouco do CROC CROC dos pratos do Dale! <3

 

Siga o blog nas redes sociais:

Facebook | Instagram | Twitter | Snapchat: robertaluglio

Continue Reading

Café por aí: Por um Punhado de Dólares

Este final de semana fui conhecer um café todo cheio de personalidade que minha amiga Renata já havia me recomendado fazia um tempo, o Por um Punhado de Dólares.

Localizado na Praça Roosevelt, próximo ao Vale do Anhangabaú no centro velho de São Paulo, o café é aconhegante e os baristas sabem o que estão fazendo. Não tem garçom, comanda, é só pedir o café no balcão e levar para a mesa.

IMG_20160806_163945172-01-01

Existem várias opções no menu de cafés, desde os espressos tradicionais, macchiatos, cappuccinos, irish coffee, até grãos especiais feitos por métodos como french press e coador. Eu particularmente adoro café de coador e gosto do sabor mais suave das torras claras e médias.

Não sou super entendida de café (ainda!), mas vocês sabem que eu aprecio muito a iguaria. Nas minhas “andanças cafeinadas”, aprendi que o sabor intenso do café é devido ao grau da torra do grão (escura, média e clara). Além disso, também aprendi que o café espresso não é o que mais contém cafeína.

A concentração de cafeína no produto final se dá pelo tempo de passagem da água pelo pó – que é bem maior no café coado, que leva em média de 1 a 5 minutos. Um dos critérios para o café ser espresso é a passagem da água em menos de 30 segundos, como já expliquei nesse post, no dia em que fui convidada para um workshop com um barista. 😉

 

Primeiro pedi um Café 2, grão especial de Minas Gerais de torra clara/média, feito pelo método french press e um pedaço de bolo de cenoura com uma ganache de chocolate meio amargo di-vi-na! <3

IMG_20160806_164715099-01

IMG_20160806_164442788-01

Gostei muito do café! É suave, acidez bem baixa (também adoro!) e tem um aftertaste que me lembrou mel e amêndoas. Meu namorado pediu o bolo integral de maçã e também achamos tão maravilhoso quanto o de cenoura – o toque de gengibre da receita é o diferencial. 😉

 

O segundo pedido foi o Café 1, grão de torra escura que o PPD denomina de Fuckoffee, feito pelo método de coador. Esse café é um pouco mais intenso, de torra escura, com acidez bem baixa. Gostei muito também! <3

IMG-20160807-WA0000-02

 

Um outro detalhe que AMEI no PPD foi o fato de serem water friendly! Lá a água filtrada é à vontade, só chegar no balcão e pedir uma garrafa. Lindo isso, né? 😀

IMG_20160806_170220594-01

 

Achamos tudo maravilhoso, saboroso e só tenho uma observação negativa sobre o atendimento.

Depois que terminamos nossos cafés e bolos, fomos pagar, comentei com o rapaz do caixa que tenho um blog sobre café, que gostei muito do café deles, que pretendia escrever sobre o PPD e que gostaria de mandar o link para eles lerem – afinal de contas é o business deles, NÉ? -. O cara prontamente me respondeu: “não faz, não, deixa as pessoas virem por elas mesmas. Já tem muita gente fazendo isso. Nós também não respondemos a fanpage do Facebook, mas manda lá que uma hora alguém vê.”. Achei indelicado da parte do estabelecimento dar um feedback desses para o cliente, sabe? Só me dispus a escrever sobre eles (e positivamente, como vocês leram no post) e nem pedi nada em troca. Acredito muito na troca de gentilezas entre as pessoas. <3

Enfim, apesar do rapaz do caixa, eu ainda voltaria lá pela qualidade do produto e recomendo aos meus leitores adoradores de café que experimentem o café do PPD. 🙂

O café fica na Rua Nestor Pestana, 115 – Consolação. Fica aberto de segunda à sábado, das 10 às 22 horas. 😉

Se forem lá me contem depois o que acharam, tá?

Um beijo e um bom café! c[__]

 

Acompanhe o blog nas redes sociais:

Facebook | Instagram | Twitter | Snapchat: robertaluglio

Continue Reading

Review: L’Entrecote de Paris

Este final de semana (19/06) fui ao L’Entrecote de Paris conhecer o prato mega hype das redes sociais e comemorar o dia dos namorados.

I know, I know… o dia dos namorados foi semana passada e a decisão mais sábia que tomamos foi de comemorar uma semana depois. Dia dos namorados é a data fatídica em que todos os restaurantes de São Paulo ficam entupidos, com as listas de reserva lotadas pelos prevenidos e filas de espera lotadas pelos desavisados.

Achamos um cupom promocional no Peixe Urbano, em que o almoço (ou jantar) saiu por R$99 e digo que valeu muito a pena.

A promoção nos dava a direito a dois pratos principais e uma sobremesa. O serviço do garçom e as bebidas foram à parte.

 

O LOCAL

Ambiente aconchegante, com luz na medida certa (odeio restaurante escuro!), música ambiente de baladinha francesa e atendimento impecável.

Sério, o garçom muito gentilmente explicou os 6 possíveis pontos da carne, nos explicou sobre o molho, a entrada, tudo. Além de ter sido muito atencioso e ter deixado nossos pratos e copos sempre cheios. <3

Foto 19-06-16 12 10 20

 

A ENTRADA

Eu, como entusiasta do mundo fitness, adoro e não nego uma salada. Uma saladinha bonita, colorida, bem feita, então… nem se fala!

A salada de entrada é simples: mix de folhas, tomate cereja, nozes e um molho de iogurte divino.

Foto 19-06-16 12 15 23

 

O PRATO PRINCIPAL

O ponto alto do restaurante é justamente o fato de ter um único prato no menu: um corte de carne bovina chamado Entrecôte, com molho de mostarda e fritas de acompanhamento.

Vamos à carne. Simplesmente uma das carnes mais macias que já comi na vida, servida no ponto exato que pedi (ao ponto).

O molho de mostarda foi um dos molhos mais incríveis que eu já comi na vida e eu queria uma piscina cheia dele para eu nadar! hahaha

O molho acompanha bem tanto a carne, como as fritas. E bom, falando nas fritas, batata frita é batata frita, né, minha gente? 😀 Ainda mais quando servidas à vontade! <3

entrecote

 

A SOBREMESA

Pelo nosso cupom de desconto tínhamos direito a uma sobremesa, podendo ser duas bolas de sorvete com calda ou pudim de leite condensado.

Quem me conhece sabe que eu sou uma ET e não gosto de sorvete, portanto já deu pra saber qual foi o nosso pedido, hehe.

Foto 19-06-16 13 13 08

Cara, que pudim delicioso! Bem cremosão com calda espessa. <3

 

Comida recomendadíssima, atendimento perfeito! Vale a investida de uns R$70-100 por pessoa para comer um bom prato. 🙂

Alguém aí já foi? Me contem o que acham!

Acompanhe o blog nas redes sociais:

Facebook | Instagram | Twitter | Snapchat: robertaluglio

 

Continue Reading