Easy, girl!

Aí chega a tal de vida e decide fazer um test drive com o nosso trem da alegria. Tudo indo lindo & maravilhoso na viagem, quando o trilho entorta e o nosso trenzinho descarrilha.
Pois bem. Segunda-feira, acordo numa disposição incrível para treinar pernas, o que é bem raro em se tratando da minha pessoa. Chego na academia, anuncio ao professor minha disposição e peço para que me passe exercícios bacanões.
Aprendendo a execução do primeiro exercício, o tal do agachamento sumô ~dos infernos~, achei que o dumbell de 28kg estava pesado demais, avisei o professor e ele foi pegar outro mais leve. Eu ali, com os 28kg na mão, fui guardar aquele peso para pegar o peso novo e PIMBA.
PIMBA.
Pimba daqueles 28kg no meu pé e muitas estrelas e passarinhos rodopiaram minha cabeça na sala de musculação.
Corri para a cantina da academia, pedi gelo e me deram uma bolsa. Coloquei no local da pancada e ali fiquei por uns 5 minutos.
Quando tiro a bolsa, surpresa: local da pancada ROXO.
Decidi que iria ao médico ver o estrago, peguei minhas coisas e fui pra casa, meio mancando (já que vou à pé à academia), mas fui.
Durante esse breve trajeto, passou um filme de terror na minha cabeça: a possibilidade de ter fraturado o pé, a grande chance de ter que imobilizá-lo, o final de ano, minhas últimas provas na faculdade, meu apartamento no terceiro andar, meu prédio só com escadas, meu trabalho, meus treinos de corrida, as provas de corridas que estavam por vir etc. Eu chorei. Chorei de desespero em pensar nessas coisas todas, a dor em si já não era o que mais me preocupava.
Fui ao médico e a notícia foi boa: nada trincado e muito menos fraturado, no entanto, o esperado ocorreu. Pé imobilizado, 2 dias de tala sem colocar o pé no chão, rotina toda modificada, idas e vindas dependentes de anjos que tenho na vida (minha tia Simone e minha amiga Camylla, minha eterna gratidão a vocês <3), cadeira de rodas para chegar até a sala de prova e enfim… vida que segue.
Das vantagens do “molho”: jogos em dia! <3
Depois de dois dias, fim da tala de gesso ~graçassssssss!!!~, robôfoot para andar o mínimo possível, pé pra cima e compressa quente.
O “molho” acabou ontem (sábado), mas a corrida só daqui uns 10 dias.

Essa semana retomo meus treinos de musculação de superiores, pois ainda não posso forçar as pernas e olha… pra quem era sedentária e sempre detestou exercícios, hoje falo com orgulho que não vejo a hora de voltar a treinar, estou sentindo falta!

A disposição muda, o foco muda, a fome aumenta, tudo complica.

Amanhã é segunda-feira, dia mundial da retomada da dieta e simbora colocar o trenzinho de volta no eixo! *emoticon fortinho*

Beijo!

Facebook Comments