Octavio Café e Coffee Lovers

Semana passada o blog foi convidado para participar de um curso ministrado por baristas, o Coffee Lovers do Octavio Café em São Paulo. Eu amei o convite, ainda mais no timing perfeito do Dia Internacional do Café que foi dia 01 de Outubro. 🙂

dia bom de international coffee day, coffee lovers! • ☕❤✨

A post shared by Roberta Luglio (@robertaluglio) on

 

O curso foi ministrado pelos baristas Paulinho e Arthur, que trabalham no próprio Octavio Café e foram 3 horas de muita informação sobre café. Eu, mesmo apaixonada pela arte cafeinada, não fazia ideia que o universo do café era tão vasto!

A primeira parte do curso foram exercícios sensoriais de paladar e olfato.

O primeiro, de paladar, foi para aprendermos os três sabores fundamentais presentes no grão de café: ácido, doce e salgado. Vocês sabiam que o amargor é um defeito do café? Pois é… eu achei curiosíssimo!

Além disso, aprendemos a identificar na língua onde estes sabores se manifestam, qual o peso deles, como a bebida se comporta na boca etc… tudo isso para apreciarmos a bebida com o senso crítico mais aguçado possível.

coffeelovers4

O segundo exercício, de olfato, foi uma loucura: cheiramos cerca de 20 aromas de gêneros alimentícios e não-alimentícios, todos presentes no grão de café, e tentamos adivinhar de qual fragrância se tratava. Para quem quiser saber mais, procure por “teste Le Neuz”. 😉

O mais louco de tudo isso é perceber que cada um tem uma percepção sobre sabores e aromas. Das 4 pessoas presentes na turma, ninguém chegou às mesmas conclusões que o outro. Por exemplo, no teste de aromas, eu achei que uma das fragrâncias era de madeira e o rapaz ao lado achou que era pepino (!). E pasmem, a fragrância era de ervilha! hahaha

A segunda parte do curso foi bem teórica, cheia de informações sobre espécies, classificações, moagem, sabor, aroma, corpo, retrogosto (aftertaste) etc. Achei mega interessante! 🙂

robusta-and-arabica-bean

A terceira e última parte do curso, foi a que eu estava mais curiosa para aprender: os métodos de preparo! Dentre eles: Chemex, Hario V60, Coador de pano, Sifão (ou Globinho), French Press, Café Turco, Coador de Ouro 24k (sim!) e Aeropress.

Eu sempre vou à cafeterias e fico muito em dúvida sobre o método de extração. Por mais que o barista explique ali na hora, acho importante sabermos as diferenças teóricas entre os métodos, para sabermos escolher melhor o nosso pedido. 😉

coffeelovers6

coffeelovers3

Bom, o café pronto trata-se basicamente de água quase fervente (90 graus) passada pelo pó de café. O que difere um método do outro é o tipo de filtragem e, consequentemente, a superfície de contato da água com o pó.

Por isso, alguns métodos exigem uma moagem mais grossa que outros, para que não passem resíduos para a bebida pronta. Já outros métodos, como o Café Turco (foto da esquerda), não existe filtragem da bebida final, por isso o pó é bem moído/fino.

coffee2

Esta etapa do curso foi de degustação do mesmo grão, mas extraído de diversas formas. Acho que nunca tomei tanto café na vida! 😀

img_20160930_222204183

Reparem como muda a cor da bebida final dependendo do método de extração – o sabor delas mudava bastante também! Meus métodos preferidos foram o Chemex e o Coador de Ouro 24k. 😉

Para quem gosta de Café, o Coffee Lovers é um curso rápido, cheio de informações e bom para sabermos escolher melhor nossos cafés do dia-a-dia. Recomendo bastante! 🙂

O investimento é de R$250 e, para mim, vale cada centavo. O Coffee Lovers só aumentou minha paixão pelo café, saí de lá com vontade de me aprofundar mais ainda nos sabores e aromas incríveis que os grãos de café nos oferecem. <3

Espero que tenham gostado e que tenham a oportunidade de degustar ótimos cafés por aí! c[__]

 

Siga o blog nas redes sociais:

Facebook | Instagram | Twitter | Snapchat: robertaluglio

Facebook Comments