Sobre reflexos.

Sei que ando meio ausente por aqui. O fato é que estou no final da faculdade, época de provas chegando, final de ano batendo na porta e a vida exigindo muitas responsabilidades em geral, mas tô sempre por aí lendo e respondendo a todos. <3
Hoje durante uma aula de bike decidi que faria um post falando sobre os “ciclos da vida”, pois sinto que estou numa fase de encerramento de alguns e abertura de outros. Desculpem se isso parece meio filosófico demais, mas o blog é meu e eu sou a autora, hahaha.
Ontem à noite vi uma das professoras da academia que frequento postando no facebook sobre as aulas de hoje (sábado). Fazia MUITO TEMPO que eu não fazia aulas de bike e resolvi que participaria apenas para “mudar os ares” da corrida. Comentei que iria e fui.

Sábia decisão que eu tomei ontem à noite! Revivi e vi momentos incríveis numa mera aula de bike.

No começo da minha jornada do emagrecimento, logo que me matriculei na academia, eu frequentava muito as aulas de bike. Era minha atividade aeróbica favorita e graças a ela emagreci bons quilos.
Hoje quando regulei a bike que eu costumava a usar (pois fica bem no meio da sala, numa distância legal do espelho), pensei: “nossa, quanto tempo não faço isso!”. Sentei e comecei a pedalar. Aquela distância entre a bike favorita e o espelho eram usuais para mim, olhei no espelho, notei na mesma imagem ~a minha imagem~, a diferença que esse tempo todo de dieta + atividade física fez no meu corpo. Muito louco isso, né?
Me olho todos os dias no espelho, seja de casa, vestida para trabalhar, seja na academia, de top e shorts e vejo minha imagem. Mas não AQUELA imagem, naquela posição, naquele espelho.
Comecei a lembrar do início do emagrecimento, a imagem que eu via e a pessoa que eu era. Tratava-se de uma pessoa quilos mais gorda, com a cara redonda e vermelha, pernas e braços muito maiores, que muitas vezes não conseguia pedalar tanto tempo em pé na bike, que o coração estourava de tanto cansaço e achava que o mundo ia acabar naquela aula.
Hoje essa pessoa simplesmente não existe mais e está longe de ser a imagem perfeita. 
A pessoa que vi hoje era diferente. Era uma pessoa com pernas e braços mais finos (porém que podem ser MAIS finos e se Deus quiser ficarão!), com um rosto mais fino, suado, com uma resistência cardíaca infinitamente maior e uma pessoa muito mais satisfeita consigo mesma.
Além dessa imagem que me chamou a atenção e me despertou esse mix de sentimentos, de quebra, a aula ainda foi sensacional, com uma energia incrível, professora querida animadíssima e alunos mais ainda. Saí renovada, recarregada de energias positivas e feliz da vida.
Era disso que eu precisava.
Facebook Comments

Leia também