Emagrecer não é…

1. Acreditar em shake “emagrecedor”

shake-vegetal

E substituir refeições por eles.

 

2. Pular refeições

IMG_20160308_121510

E achar que está economizando calorias.

 

3. Fazer mil horas de aeróbico e depois comer como se não houvesse o amanhã

running

 

4. Viver de chás 78 ervas e à espera de um milagre 

IMG_20160307_212639110-01

Ok, tem propriedades terapêuticas, hidrata, é bacaninha. Mas o sucesso do emagrecimento não é feito somente de chás.

 

5. Seguir dieta à risca de segunda à sexta e enfiar o pé na jaca no final de semana

eating

 

6. Enxergar uma migalha e comer uma montanha

cats

Se isso acontece com você, é altamente recomendável que você procure um psicólogo.

 

7. Se entupir de “snacks saudáveis”

snacks

(fonte: imagem reprodução)

 

Esqueça os industrializados. Prefira os alimentos in natura. #comidadeverdade sempre. 😀

Acompanhe o blog nas redes sociais:

Facebook <3 Instagram <3 Twitter <3 Snapchat: robertaluglio

Continue Reading

Minha história com a Sibutramina – versão 2.0

Como prometido, cá estou para fazer um post atualizado sobre minha história com a Sibutramina.

Há um tempo atrás, relatei toda a trajetória do tratamento com a Sibutramina nesse post aqui, ainda no meu antigo blog, mas acho legal de tempos em tempos recontar a mesma história, pois hoje em dia tenho uma visão diferente sobre dieta e emagrecimento. 😉

Bom, vamos lá.

Como todo gordinho começa sua história dessa maneira, a minha não seria diferente: fui uma criança e adolescente gordinha. Adorava comer, minha família – italiana que é – cultua esse hábito excelentemente bem, além de termos mãos de fadas cozinheiras aos montes. Um cenário todo propício para comilança e corpos fartos, não?

9anos

 

                                                                        Eu aos 9 anos

Insatisfeita com o meu corpo, com 83kg, aos 18 anos, resolvi procurar ajuda médica e recorri a uma endocrinologista. Ela me receitou Sibutramina (acelerador de metabolismo), combinada com Fluoxetina (redutor de ansiedade), esta última às vezes era alternada com Sertralina (redutor de ansiedade também). Esses dois últimos medicamentos são prescritos em quadros de depressão, mas no meu caso era somente para controle de ansiedade.

Durante 6 meses, tomei os medicamentos e não fiz atividade física alguma. Eu era o sedentarismo em pessoa. Resultado? Nem um grama a menos na balança e muito medicamento pra dentro.

Depois desses 6 meses, comecei a fazer academia bem sem vergonhamente. Fazia caminhadas, treinos de musculação dia sim, dois não, três talvez (nada comparado aos treinos que faço hoje em dia). Resultado? Menos 4kg a cada mês. Era visível o meu emagrecimento.

Assim se passou 1 ano e meio, eu já estava com 20 anos e 15kg a menos na balança (68kg). O manequim de 46 foi para 40, todos elogiavam minha magreza, a fome era menor, um pouco de comida já me satisfazia e a vida era maravilhosa assim, não?

sibutramina

                                        Magra, super magra, com a Sibutramina

NÃO! No meio dessa maravilhosidade toda, ganhei de brinde UMA CONVULSÃO no meio de uma balada, por ter tomado um mísero gole (juro!1!!1) de whisky com energético e muito gelo derretido, sendo que a médica jamais me alertou sobre o consumo de álcool durante o tratamento com a Sibutramina.

Depois desse episódio catastrófico, foram consultas e exames com neurologista. Situação super preocupante e uma ocorrência SÉRIA de saúde. Graças a Deus foi um episódio pontual e a convulsão não se repetiu.

CALMA, os “resultados” ainda não acabaram. Claro que depois da convulsão eu parei de tomar a Sibutramina e em torno de 1 ano, eu engordei tudo o que eu havia emagrecido. Sim, 15 kg jogados no ralo, ou melhor, dentro do meu corpo.

Esse foi o legado que a Sibutramina me deixou.                

sibutra

                                            À esquerda: +13kg. À direita: +15kg.

Passei anos sem conseguir contar direito essa história para as pessoas (a parte da convulsão foi muito mais tensa, mas o que escrevi nesse post é o suficiente, rs), porém hoje, depois de ter emagrecido de forma saudável e ter relatado esse processo abertamente nas minhas redes sociais, eu tenho orgulho da minha história e me sinto no dever de contar e alertar as pessoas sobre remédios para emagrecer.

Não caiam nesse conto do vigário, pelo bem de suas saúdes. O efeito rebote existe sim, por mais que os médicos não deixem isso claro e as consequências podem ser bem graves – vide minha história.

Um corpo magro é bom, mas um corpo com saúde é melhor. 😉

 

Acompanhe o blog nas redes sociais:

Facebook <3 Instagram <3 Twitter <3 Snapchat: robertaluglio

Continue Reading