Café por aí: Coffee Lab

Depois de muitas indicações de amigos, finalmente fui conhecer o Coffee Lab.

O café fica na Vila Madalena em São Paulo, ambiente super agradável, cheio de folhagens no corredor de entrada e a decoração do interior é bem rústica/industrial. A sensação é de estar dentro de um laboratório mesmo, pelo “maquinário” de café exposto no meio do ambiente, pelo uniforme dos funcionários e pelo estilo da decoração.

SONY DSC

coffeelab2

Eu fui conhecer o local em um sábado à tarde e estava bem cheio. Fiquei quase 1h na fila esperando vaga em alguma mesa. Realidades de lugares famosinhos em São Paulo, afinal…  ¯\_(ツ)_/¯

Pedi um sanduíche de pão orgânico, com queijo minas padrão e um café filtrado pelo método Clever. O grão que escolhi era o Catuaí Vermelho do Sítio Alto Ouro.

O sanduíche era INCRÍVEL, um dos melhores sanduíches tostados que já comi (sério!), saiu por R$14 e o café era igualmente incrível, bem leve, doce e um pouco cítrico. Saiu uns R$17.

cl1

Como na maioria dos cafés, o pedido quem faz é o próprio cliente no balcão, ou direto na cozinha, como no Coffee Lab. A água filtrada também é à vonts e todos podem pegar direto de uma torneira/pia, disposta no meio do salão.

Achei o valor dos produtos um pouco alto, mas a experiência e o local muito bacanas. É o tal do valor agregado ao produto que faz o conjunto valer a pena.

Eu voltaria lá pelos grãos especiais difíceis de encontrar nas cafeterias e também pelo atendimento, todos os baristas que conversei foram muito simpáticos, explicaram sobre o grão escolhido, sobre o método de preparo etc.

Levei para casa um pacotinho do Café da Raimunda. Segundo a história do cardápio, Raimunda é funcionária da casa e todos os dias prepara um café com diversos grãos misturados. Gostei bastante, mas não mais do que o Catuaí Vermelho que tomei lá. <3

cl2

Se quiserem conhecer, o Coffee Lab fica na Rua Fradique Coutinho, 1340 – Pinheiros, São Paulo. Para quem aprecia café, o lugar é uma escola sobre café, vale muito a pena a visita! Selo CMC de aprovação! 😀

Um beijo!

Me encontre nas redes sociais:

Facebook | Instagram | Twitter 

Continue Reading

Cafés por aí: Urbe Café

Mais um post de lugarzinho para comer e beber que vocês tanto gostam! \o/

No carnaval saí para almoçar e aproveitei para dar mais um check na minha lista de cafés que pretendo visitar.

Fui com amigos no Urbe Café, super comentado e referência para amantes da cafeína. O Urbe Café fica na  R. Antônio Carlos, 404 – Consolação. 😉 

O local tem decoração ~trendy~ dos cafés daqui de São Paulo: estilo rústico industrial, mesas de madeira, parede de giz, grafite na outra parede… esse mood “descolado e cool” que vocês sabem.

IMG_20170227_132014512

IMG_20170227_154932948

Para comer, eu pedi um sanduíche de porco desfiado, com coentro, cenoura, numa baguete e acompanhava maionese temperada, tipo um molho tártaro. Achei o preço bom pelo prato servido, o pão era muito crocante e bem recheado.

Meu namorado pediu um hambúrguer de salmão defumado, com cebola roxa, cream cheese e rúcula, no brioche. Era sensacional! De longe, o melhor prato da mesa. Só tenho um ponto específico para falar: o tamanho. O hambúrguer era bem pequeno, confesso que ficamos um pouco decepcionados quando vimos aquele mini hambúrguer chegando. Os lanches saíram na faixa de R$30.

lancho

Minhas amigas pediram massas. Uma foi de ravioli recheado com mussarela de búfala, ao molho sugo, com azeitonas pretas e manjericão; a outra foi de spaghetti de abobrinha ao molho sugo com falafel. Comentário delas: “spaghetti de abobrinha estava um pouco salgado. O ravioli estava ok.” As massas saíram na faixa de R$30 também.

massas

Para finalizar, pedimos um café coado (❤) com o Grão 01 da casa. Era bem gostoso, “acidinho e doce” do jeito que eles prometem. Minha amiga expert em espresso pediu um e gostou bastante.

IMG_20170227_151908200

De sobremesa, pedi o bolo gelado de coco. Era uma delícia, mas não achei que valia o preço – uns R$7. E desculpem que esqueci de tirar foto. 😛

Sobre o atendimento, senta que lá vem história…

Quando cheguei no Urbe, logo me interessei pelos cafés em grãos – já que ganhei um moedor e tô amando tomar café moído na hora ❤ -, chamei o barista, perguntei sobre a origem dos grãos, tipos e preços. O barista Murilo me explicou tudo que perguntei e me informou que os Grãos 01, 02 e 03 custavam R$19, R$25 e R$35, nesta ordem.

Na hora de pagar, pedi um Grão 01 e na conta veio custando R$25. Chamei o barista, questionei o valor e o cara não demonstrou o mínimo interesse em resolver o problema, inclusive disse que ele fala o preço a todo momento aos clientes, que eu poderia ter ouvido errado, me confundido e que eu não era obrigada a levar o café.

E detalhe: preço dos pacotes não estava escrito em nenhum lugar – POIS É. Nem no cardápio, nem na parede de giz, nem no display dos produtos. A única forma de se obter (e confiar) essa informação era no boca a boca. Erro rude para um estabelecimento que vende produtos, convenhamos.

IMG_20170227_132642646

Enfim, foi bem chato. Eu não levei o tal do Grão 01 e digo que, como cliente, a situação ficou bem desconfortável e eu não recomendaria o local, apesar de ter comido bons (não excelentes) pratos e experimentado bons cafés.

Para mim, um bom atendimento vale muito na experiência. Acho que esse tópico vale um outro post de reflexão. Escreverei em breve, prometo. :*

Se vocês forem ao Urbe, já foram, tiveram boas/más experiências, me contem nos comentários. Experiência boa é experiência compartilhada. 😉

Um beijo!

 

Acompanhe o blog nas redes sociais:

Facebook | Instagram | Twitter 

Continue Reading

Café por aí: Por um Punhado de Dólares

Este final de semana fui conhecer um café todo cheio de personalidade que minha amiga Renata já havia me recomendado fazia um tempo, o Por um Punhado de Dólares.

Localizado na Praça Roosevelt, próximo ao Vale do Anhangabaú no centro velho de São Paulo, o café é aconhegante e os baristas sabem o que estão fazendo. Não tem garçom, comanda, é só pedir o café no balcão e levar para a mesa.

IMG_20160806_163945172-01-01

Existem várias opções no menu de cafés, desde os espressos tradicionais, macchiatos, cappuccinos, irish coffee, até grãos especiais feitos por métodos como french press e coador. Eu particularmente adoro café de coador e gosto do sabor mais suave das torras claras e médias.

Não sou super entendida de café (ainda!), mas vocês sabem que eu aprecio muito a iguaria. Nas minhas “andanças cafeinadas”, aprendi que o sabor intenso do café é devido ao grau da torra do grão (escura, média e clara). Além disso, também aprendi que o café espresso não é o que mais contém cafeína.

A concentração de cafeína no produto final se dá pelo tempo de passagem da água pelo pó – que é bem maior no café coado, que leva em média de 1 a 5 minutos. Um dos critérios para o café ser espresso é a passagem da água em menos de 30 segundos, como já expliquei nesse post, no dia em que fui convidada para um workshop com um barista. 😉

 

Primeiro pedi um Café 2, grão especial de Minas Gerais de torra clara/média, feito pelo método french press e um pedaço de bolo de cenoura com uma ganache de chocolate meio amargo di-vi-na! <3

IMG_20160806_164715099-01

IMG_20160806_164442788-01

Gostei muito do café! É suave, acidez bem baixa (também adoro!) e tem um aftertaste que me lembrou mel e amêndoas. Meu namorado pediu o bolo integral de maçã e também achamos tão maravilhoso quanto o de cenoura – o toque de gengibre da receita é o diferencial. 😉

 

O segundo pedido foi o Café 1, grão de torra escura que o PPD denomina de Fuckoffee, feito pelo método de coador. Esse café é um pouco mais intenso, de torra escura, com acidez bem baixa. Gostei muito também! <3

IMG-20160807-WA0000-02

 

Um outro detalhe que AMEI no PPD foi o fato de serem water friendly! Lá a água filtrada é à vontade, só chegar no balcão e pedir uma garrafa. Lindo isso, né? 😀

IMG_20160806_170220594-01

 

Achamos tudo maravilhoso, saboroso e só tenho uma observação negativa sobre o atendimento.

Depois que terminamos nossos cafés e bolos, fomos pagar, comentei com o rapaz do caixa que tenho um blog sobre café, que gostei muito do café deles, que pretendia escrever sobre o PPD e que gostaria de mandar o link para eles lerem – afinal de contas é o business deles, NÉ? -. O cara prontamente me respondeu: “não faz, não, deixa as pessoas virem por elas mesmas. Já tem muita gente fazendo isso. Nós também não respondemos a fanpage do Facebook, mas manda lá que uma hora alguém vê.”. Achei indelicado da parte do estabelecimento dar um feedback desses para o cliente, sabe? Só me dispus a escrever sobre eles (e positivamente, como vocês leram no post) e nem pedi nada em troca. Acredito muito na troca de gentilezas entre as pessoas. <3

Enfim, apesar do rapaz do caixa, eu ainda voltaria lá pela qualidade do produto e recomendo aos meus leitores adoradores de café que experimentem o café do PPD. 🙂

O café fica na Rua Nestor Pestana, 115 – Consolação. Fica aberto de segunda à sábado, das 10 às 22 horas. 😉

Se forem lá me contem depois o que acharam, tá?

Um beijo e um bom café! c[__]

 

Acompanhe o blog nas redes sociais:

Facebook | Instagram | Twitter | Snapchat: robertaluglio

Continue Reading